Publicidade:

 

 Publicidade:

 

 
 

CHARGE DO DIA

 

 

 

 

 

 

 


 

Home » Notícias » Quase 800 casos de Aids registrados em Chapecó

02/12/2013

Quase 800 casos de Aids registrados em Chapecó

Chapecó – No sábado (30), o Dia Nacional de Luta Contra a Aids foi de conscientização e prevenção. Para marcar a data, alunos bolsistas do projeto Sorriso para a Vida, da Unochapecó, por intermédio da ação Prevenção de Doenças Transmissíveis, distribuíram materiais educativos sobre combate e prevenção à doença no Hospital Regional do Oeste e no Hospital da Criança.

Integrantes do Gteu e do grupo Essência realizaram intervenções com o objetivo de chamar atenção para a prevenção da doença. Foto: Mirian Cruz/RedeComSC

A intervenção seguiu pela avenida Getúlio Vargas até o calçadão. E, durante a tarde, foi realizada a entrega de materiais educativos no entorno do Estádio Índio Condá. De acordo com a diretora do Grupo de Teatro Expressão Universitário (Gteu), Inajá Neckel, a mobilização teve o intuito de chamar a atenção para a doença de uma maneira diferente. “A partir de palavras como proteger, amar, cuidar, prevenir, verbos que nos norteiam e fazem sentido, é que nós fazemos esta intervenção com gestos e movimentos”, explicou.

Para Inajá, esta é uma forma de estimular o debate e a conscientização sobre um problema, que muitas vezes é tratado como tabu. “Essa intervenção chama a atenção da população com outros olhares, e é nesse momento que nós entregamos os folders falando da importância da prevenção”, comenta.

HIV em números

O tema da data neste ano é “Prevenção Transmissão Vertical do HIV”. Em Chapecó, o atendimento e tratamento de pacientes soropositivo é realizado no Hospital Dia, que atende 37 municípios da região.

Conforme a médica infectologista coordenadora do Programa Municipal de DST/HIV/AIDS, Arlete Medeiros, atualmente 809 usuários estão em acompanhamento no Hospital Dia, sendo que 507 deles fazem tratamento.

Em Chapecó, entidades como o Grupo de Apoio à Prevenção à Aids (Gapa) trabalham para amenizar o impacto do HIV-Aids na sociedade. “São 24 anos incansáveis de trabalho”, destaca o diretor presidente da entidade, Dirceu Hermes.

O primeiro caso de Aids registrado em Santa Catarina, em 1984, foi diagnosticado em Chapecó. Desde então, novos casos são diagnosticados. Estima-se que são 1.437 casos diagnosticados desde então, em 36 municípios do Oeste de Santa Catarina, da área de abrangência do Hospital Dia. Somente em Chapecó são 781 casos registrados.

Ao contrário dos anos iniciais da doença, quando foi conhecida como a peste gay, por ser diagnosticada inicialmente na população homessexual, hoje a doença não apresenta mais grupo de risco. Existe uma tendência de aumento nos casos em mulheres e na população heterossexual. “Estamos falando de uma doença democrática, que não escolhe idade, cor, raça e orientação sexual”, enfatiza Hermes.

Preservativo

O que preocupa entidades que atuam no combate à Aids é que pesquisas mostram que o uso do preservativo está sendo negligenciado por parte da população. Cerca de 98% dos adolescentes sabem da existência da Aids, mas o índice que demonstra quem realmente usa o preservativo nas relações não chega a 50%.

O sentimento de que a doença foi vencida despontou na nova geração um comportamento sexual preocupante. Na América Latina, caiu o número de pessoas que disseram usar preservativo entre 2009 e 2012. O mesmo ocorreu em países ricos, com a taxa sendo reduzida de 60% para 50%.

A banalização ao uso de preservativo, segundo Hermes, acontece porque as pessoas apostam no tratamento como o controle de uma doença crônica, cuja morte se demonstra distante e que tem garantido qualidade de vida ao soropositivo. “O tratamento não pode ser visto como uma simples solução para quem se contamina”, enfatiza.

Panorama

No Brasil, existem 490 mil pessoas infectadas com o vírus HIV. De acordo com o levantamento anual do Ministério da Saúde, o número de brasileiros infectados pode ser bem maior do que o estimado: aproximadamente 530 mil. Por ano, são registrados em média 36 mil novos casos. Além disso, a pesquisa do Ministério aponta que um quarto dos brasileiros portadores do HIV não sabe que está infectado. Isso corresponde a cerca de 135 mil pessoas.


 

Tags: Aids, Chapecó, casos, preservativo, prevenção, Dia Nacional de Luta Contra a Aids,

 

 

deixe seu comentário

 

Nome

E-mail (não será divulgado)

 

Sua mensagem

 

 

notícias relacionadas

 


 

 


 


 

 

 

Fale Conosco  |   Anuncie  |   redecomsc.com.br - Todos os direitos reservados REDECOMSC

 

Copyright © Portal RedeComSC - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.